A MATERNIDADE E TANTOS PRIMEIROS

Há alguns posts atrás comentei de como descobri a chegada do Samuel nas nossas vidas e o que a maternidade passou a ocupar na minha vida. Se você ainda não leu,  clica aqui <3 e não deixa de compartilhar sua experiência e ponto de vista.

E preciso dizer, minha vida, meu olhar sobre as coisas mudou de perspectiva.


Aquilo que era importante passou a ser de fato questionável era mesmo importante.
Eu vivia para trabalhar, e muito!
Minha rotina era insana. Saia de casa 5:30h da manhã e voltava 21h da noite.
Era insana mas eu gostava. Todo fim de mês eu tinha a certeza do salário no bolso e isso sempre me fazia permanecer. Afinal que queria minhas outras conquistas. Não condeno nada disso, mas naquele momento essa era minha prioridade.
E quando descobri a chegada do Samuca, confesso que isso mexeu comigo. Me tirou da zona de conforto e me senti como se tivesse perdido o controle. Para mim que sou uma pessoa super sistemática, confesso que sofri um pouquinho. Na verdade muito ! Mas isso me serviu, para ver as coisas por um outro angulo. Já adianto que não foi nada fácil, mas a gente vai aprendendo, vivendo, e percebendo lindas coisas da vida ainda não conhecidas até chegar na maternidade.

Eu acredito que tudo tem seu tempo e lugar. E pra mim aconteceu assim.
Quando descobri a gravidez relutei muito, mas junto com meu marido, decidimos que abriria mão do meu emprego fora, para que pudesse integralmente proporcionar a educação, criação e cuidado do Samuca. Thiago também se propôs a organizar sua rotina para que pudesse me ajudar sempre que eu precisasse e também estivesse presente na rotina do Samuca em algum momento do dia.
Graças a Deus eu tive essa oportunidade, mas sei que muitas mães não tem essa possibilidade.
Eu mesma, quando nasci, minha mãe nunca pode deixar o trabalho para cuidar de mim em casa integralmente, mas nunca faltou amor e preocupação na criação e educação e sei que ela e meu pai se desdobravam para serem presentes e oferecer e suprir todas as necessidades minhas e da minha irmã.

E assim fizemos. Larguei a multinacional para estar integralmente com o meu filho.

E confesso que vivi experiências inesquecíveis. Cheia de primeiros. Uma rotina completamente diferente. Dias ainda mais intensos do que 8h lidando com impostos (era a área que eu trabalhava). Eram 24h repletas de sentimentos mais misturados.

Lembro exatamente quando cheguei em casa com o meu pacotinho. Era um misto de emoções e ali começava a viver nossos primeiros.
Primeiras alegrias, primeiros anseios de não estar fazendo algo certo. Muitos primeiros.
Mas quando nasce um filho, nasce realmente uma mãe e vamos aprendendo junto com eles a viver tudo isso.
E ai vem a primeira vacina, a primeira cólica, a primeira mamada, a primeira soneca no berço, a primeira noite sem dormir completamente, primeiro banho, primeira risada, primeiro carinho, primeiro passeio, primeiro dentinho.. primeira engatinhada, a primeira mudança de casa, ahhh são tantos primeiros...

 

 

 



 






 

Esse momento de primeiros foram tão especiais pra mim, que até registrei por muito tempo. Para acompanhar e ver um pouquinho do nosso relato de primeiros clique aqui.

Confesso que a maternidade mexeu comigo. Com os meus mais íntimos sentimentos. De tentar ver que meu papel em ser mãe era e é muito importante mas eu era mais. Era uma mulher que estava buscando se aceitar. Me achar bonita e aceitar meu corpo como eu sou. Que eu tinha a oportunidade de agora buscar algo que realmente me fizesse feliz profissionalmente (muito mais que o dinheiro no bolso), e que eu estava dando o melhor de mim em todas as áreas da minha vida (mesmo sendo tão perfeccionista e exigente comigo mesma.

Aprendi com isso tudo que estamos sempre em construção. Independente da forma de maternar,  teremos muitos primeiros e que esses 'primeiros' nos farão sempre mais fortes e na busca por sermos melhores.


Comentários