Relato do meu parto

Dia 30/11/2015, 40 semanas de gestação e nada do bebê encaixar, nem as contrações virem! Tudo calmo! Nem sinal de trabalho de parto. Teríamos que a essa altura 
buscar soluções para uma boa chegada do Samuel!
Sempre havia alguém pra perguntar: Vivian, que tipo de parto você quer? O que vai ser?
No inicio da gravidez conversei um pouquinho com uma amiga que tinha acabado de ter um bebê e sempre conversamos, e ela me disse assim: 

‘Vivi, ora! Deus vai te mostrar o que vai ser melhor!’


Eu orei mesmo! Durante os nove meses seguintes eu orei bastante em relação a isso! Tinha medo (acho que medinho normal que aparece em gestantes!)  Talvez por não me sentir pronta ou preparada o suficiente, mesmo lendo inúmeros livros, relatos.
E sentia no meu coração que gostaria de tentar um parto normal e sempre expus isso a minha Obstetra e tentamos!
Eu tive uma gestação aparentemente tranquila. Só que com 20 semanas eu tive um episódio recorrente de leves sangramentos que me assustaram um pouco. Minha placenta estava 'descolando'. Era como se ela fosse fraca. O primeira 'portinha' que segura o bebê, a 'portinha' externa se rompeu, e ali foi avaliado que precisaria fazer uso de medicação para fortalecer a parede do útero e da 'portinha' interna. A preocupação era que com o peso que o bebê adquirisse, 'portinha' interna não aguentaria e assim ele nasceria antes da hora. Precisei a partir dali fazer repouso absoluto, e me afastei do trabalho no 5º mês de gestação.
Foi então que vivi meus dias da gravidez em pro da minha saúde e do meu bebê. Não podia fazer exercícios e nem me preparar mais intensamente para o meu parto normal que tanto queria. Mas na minha mente e no meu coração era assim que eu me preparava.

Mas chegou o dia, e nem sinal. Tivemos que iniciar uma indução e esperamos! Era 8h da manhã quando iniciei o processo de indução. levei pelo menos 2h e meia para começar a sentir a cólica forte que indica que tudo está prestes a começar. 
Logo depois as primeiras contrações. Bem leves, mas já incomodas. Bem espaçadas. Cada contração era um sentimento de que estava chegando! De que tudo sairia como planejado.
Eram 16h da tarde do dia 30/11/2015 e eu resolvi tomar meu banho e me preparar. Estava chegando a hora de ir pro hospital. Eu estava tranquila e as contrações começaram a ficar mais constantes. Mas cada contração me causava alegria e tranquilidade. O plano ia dar certo.
Fomos para a maternidade para aguardar as orientações da médica e as contrações continuavam (aqui tenho que aproveitar e dizer que quem me conhece sabe como sou ansiosa, programada e tudo mais, mas a maternidade veio para me frear! rs). O tempo ia passando, os parentes e amigos iam chegando, as contrações e a tensão aumentando!
Enfim a Dra. Chegou e me instruiu de tudo que era pra fazer, me examinou, mas não houve evolução significativa! 
Ela informou que iríamos pro centro cirúrgico e lá tomaríamos as providências necessárias para o parto!
Nesse momento, eram tantos sentimentos misturados! Entrar naquela sala fria, me trouxe um pouco de insegurança.
Entrei na sala do pré parto e lá fiquei junto com meu marido. O Thiago estava do meu lado (me prometeu estar em todos os momentos e realmente ficou! Sem Deus, e sem ele, não teria conseguido!) me ajudando a ser forte, a aguentar as contrações, fazendo perguntas sobre nosso futuro (sim, naquela hora, hahah), me deixando apertar com força a sua mão, me instruindo a respiração nas contrações,(…) Estávamos aguardando o efeito dos remédios e indução! 
Depois de 9h de trabalho de parto, a bolsa estourou, porém apenas com 3 cm de dilatação e sem muitos avanços! Os batimentos cardíacos do Samuel estavam sendo monitorados e naquele momento começaram a dar indícios de leves quedas, como se o Samuca estivesse realizando um grande esforço mas já tendo leves problemas, e enfim, por isso, nesse momento em que foi diagnosticado essa situação, para o bem estar do meu bebê naquele momento, decidimos partir pra cesárea!
Eu chorei! Naquela sala fria, junto com Thiago, eu chorei. Chorei porque aquele não era o meu sonho. Não era assim que havia planejado. Mas eu orei. Orei os 9 meses inteiros. Deus permitiu que eu chegasse as 40 semanas. Permitiu que nós tivéssemos saúde para chegar até ali. Pedi para que Ele me conduzisse no momento do parto, e entendi que naquele momento não era a minha vontade que iria prevalecer. E Deus tinha planos maiores. E então chorei de medo, de incerteza. Eu não me preparei para aquela cesárea. Mas naquela hora em minutos fui tomada por uma força (talvez já coisa de mãe aflorando) e fui.
Não era o meu sonho inicial, mas também jamais entraria em sofrimento e ao meu bebê! 
Em  poucos 15 a 20 minutos, após receber aquela anestesia nas minhas costas, eu ouvi o chorinho mais lindo da vida! O Samuel chegou, as 22:46h do dia 30/11/2015, com 48 cm pesando 2,900kg com um pulmão forte, carioquinha da gema! rs

Logo após seu nascimento, ainda no processo de finalização da cesárea foi notificado pequenos focos de endometriose no meu útero, e que não haviam sido diagnosticados. Naquele momento já foi realizada uma raspagem no útero e ele estava novinho em folha. 
Para mim, esse também foi um grande cuidado de Deus comigo, ao me conduzir a cesárea. Agradeci a Ele por isso.
Hoje ainda existe um misto de emoções e sentimentos, mas cada dia Deus mostra Seu cuidado!
Eu me recuperei muito bem nesse processo pós cirurgia.
A minha vida e da Samuel é motivo de louvar e agradecer sempre! 





Comentários

Postar um comentário